Skip to content

Renato Valle e o Cristo Anão de Coração Profano

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Renato Valle

A matriz de Tereza

Este slideshow necessita de JavaScript.


Isaumir Nascimento – Fotógrafo Projeto Caixa Umburana

Este slideshow necessita de JavaScript.


Isaumir Nascimento

Natural de São Sebastião (SP), desde muito pequeno vai morar no município da Serra, no Espírito Santo. Ingressa no curso de licenciatura em Artes plásticas na Universidade Federal do Espírito Santo, tomando desde então o caminho da fotografia, sem nunca ter abandonado a pintura e o desenho.

Tem trabalhado com órgãos de imprensa como repórter fotográfico, tendo fotos publicadas em jornais e revistas do Brasil. Também tem envolvido projetos educativos em volta da construção e reflexão fotográfica como as “Historias mínimas, mínimas histórias” com a que busca aproximar o público da produção de ensaios ficcionais.

Participa de exposições coletivas e desenvolve projetos autorais, participando com Yili Rojas do ProjetoArtistaEmViagem, e dentro dele da Expedição Gráfica. É um artista residente na Casa das Caldeiras em 2009/2010 e foi selecionado pelo Programa para Criadores Ibero americanos e do Haiti do Fundo de Cultura do México (FONCA) em 2010, tendo desenvolvido o Projeto Del Kariri a Oaxaca. Em 2010 foi um dos nomens premiados pelo Premio Porto Seguro de Fotografia.

http://www.coiote.org

foto_isaumir@yahoo.com.br

Julieta Warman – Buenos Aires, Argentina

Miriam Zegrer – Berlim, Alemanha

Andreas Kramer – Berlim, Alemanha


Florian Foerster – Berlim, Alemanha

José Altino – João Pessoa, Brasil

José Altino

Nasceu no centro histórico da cidade de João Pessoa – em 1946.
Ainda criança muda-se para o bairro de Miramar, perto da praia de Tambaú,
aonde a fauna e flora vivia quase intocada pelo homem.
Xilogravador, desenhista, pintor, desenvolve suas xilogravuras ligado aos
temas ecologicos e a gravura de cordel.
Com exposição do Brasil e no exterior, vários premios em salões de arte,
dedica parte de sua vida ao ensino da xilogravura, no Rio de Janeiro e
na Paraíba – no Atelier Miramar.
Recebe em 2008 o diploma de Mestre em Artes Plásticas, do Conselho de Cultura
da Secretária de Educação do Estado da Paraíba.

Tereza Dequinta – Fortaleza, Brasil

Tereza Dequinta

Tereza é um encaixe de triângulos, linhas, dores e cores. Com seus personagens e objetos dos mais diversos significados. Aplicando seus desenhos, em camisas, muros, gravuras e telas. Com o corpo na arte urbana, desenvolve pesquisas e experimentações usando técnicas de graffiti, stencil, lambe-lambe e stickers. Estuda Artes Visuais pelo IFCE, cursa o 5° semestre, caminha entre Artes Visuais e poesia, tem como referência Modigliani, Fernando Pessoa e Grupo Acidum. Nascida em Fortaleza, no ano de 1987.

Participou de várias exposições, as duas últimas foram a mostra Coletiva “Tudoaomesmotempo” BNB-Fortaleza e “Sala de Estar” Centro cultural Sesc Luiz Severiano Ribeiro com curadoria de Simone Barreto.

Renato Valle – Recife, Brasil

 

Renato Valle


Nasce no Recife em 1958. Em 1979, passa a dedicar-se exclusivamente à atividade artística. Com Gil Vicente, Flávio Gadelha, Laura Buarque e Andrea Moreira funda o jornal mensal Edição de Arte (1988- 1990). Realiza o Projeto Grades de Caminhões, apoiado pelo Sistema de Incentivo à Cultura do Recife (2002). Desenvolve o Projeto Diálogos: IAC (Instituto de Arte Contemporânea),residência artística (2005/06), Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães – MAMAM, Museu Murillo La Greca (2006), Galeria Dumaresq e SPA das Artes (2007), Pró-Criança, Prêmio Interações Estéticas – FUNARTE (2008/09). Residência Artística no Laboratório Oficina Guaianases de Gravura (LOGG) na Universidade Federal de Pernambuco – UFPE (2009). Atualmente desenvolve com o apoio do FUNCULTURA uma Pesquisa em Suportes Tridimensionais na UFPE e participou como Artista convidado pelo SPA das Artes 2010 com a Bolsa de Residência Artística SPA das Artes/Conexões – FUNARTE.

Paulo Penna – São Paulo, Brasil


Paulo Penna

Faz estudos de bacharelado e mestrado em artes na Universidade de São Paulo e pós graduação na Byam Shaw School of Arts em Londres. Atua como coordenador do Ateliê de Gravura do Museu Lasar Segall e professor do Centro Universitário Belas Artes. Participa regularmente de exposições, sendo recentes as individuais A que se Destina ?, no Centro Universitário Mariantonia e na Gravura Brasileira;  Passos, na Casa do Olhar de Santo André; Figura : Presença e Permanência na Casa de Dona Yayá e Figuren Aus Brasilien na Galerie Wildeshausen, e as coletivas Gráfica Contemporânea, em Belém; II Bienal de Gravura de FortalezaVème Bienalle Internationalle de la Gravure D´Ile de France, 7ème Trienalle de La Gravure de Chamalières e 32 Gravadores Contemporâneos Brasileiros, que itinerou pelos Estados Unidos e México.  Participa também de projetos de arte pública, como o projeto Lambe-lambe e o Pélago, que realiza em 2009 ao que da prosseguimento neste momento.

Exú o Protetor da Umburana Sagrada

Este slideshow necessita de JavaScript.

Exú o Protetor da Umburana Sagrada

Ao encontrar  um antigo desafeto que não honrava com seus compromissos e lhe devia alguns favores, próximo ao pé da Umburana  Sagrada, Exú ficou furioso virou sua mão esquerda para mostrar o tamanho da sua insatisfação e foi logo mostrando quem era o dono  da árvore pois ali aos pés da umburana seus galos costumavam descansar. Madeira nobre que ao ser entalhada da a vida em silêncio a imagens do universo popular, não poderia ter por perto uma pessoa mal intencionada , Exú  percebeu a esperança e o medo refletir em seu oponente então, pediu  que os compromissos fossem honrados e as oferendas fossem depositadas antes que o galo cantasse, só assim ele estaria livre da surra no próximo encontro.

Texto e gravura de Eduardo Ver

Irving Herrera grava umburana em Oxaca

Este slideshow necessita de JavaScript.


Fotos: Irving Herrera

José Altino grava umburana em Joao Pessoa

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: José Altino

Ernesto Bonato – São Paulo, Brasil

Ernesto Bonato

Nascido em São Paulo, Brasil, 20 / 02 / 1968.

Graduação e mestrado na ECA–USP. Participou da criação do serviço educativo do MASP (1997/2003). Ensinou gravura em metal na FAAP (2004/05) e desenho e gravura, no Centro Universitário SENAC (de 2001/2007). Fundador e coordenador do Atelier Piratininga desde 1995. Trabalha com desenho, gravura, fotografia, instalação e intervenção urbana há mais de 15 anos e teve trabalhos expostos em mais de 140 exposições individuais e coletivas no Brasil e em 28 países. Prêmio Unesco, no 14º Salão Nacional. Participou da criação de projetos coletivos como o Projeto Lambe-Lambe, Trilingüe ABC: Gráfica atual, Ação na Pagú, L´Art Roman vu du Brésil, entre outros. Organizou e participou de diversos intercâmbios, simpósios e palestras sobre arte e educação. Atua como curador de exposições no Brasil e exterior. Escreveu textos pedagógicos sobre desenho, pintura e gravura, além de atuar como ilustrador e em diversos projetos educativos dentro e fora do país. Foi responsável pelo projeto de re-configuração da Biblioteca Belmonte e coordenou o livro “Lugar, Tempo, Olhar. Artistas brasileiros contemporâneos na França Românica”. Atualmente, se dedica à pintura.

apira@ig.com.br

Marcos Freitas – São Paulo, Brasil

Marcos Freitas

Nascido em Recife, Pernambuco, Brasil, 05 / 05 / 1963.

Artista e Arte-Educador. Tem como principal característica de seu trabalho o diálogo com as mais diversas expressões e linguagens das artes. Após percorrer um longo e variado caminho profissional na música, no teatro, na pintura ‘trompe l’oeil’, nas artes gráficas e no ensino das artes, funda e administra o atelier enganos e ilusões em 1997 e, desde então, vem desenvolvendo seus trabalhos e pesquisas pessoais principalmente em pintura, gravura, escultura, fotografia, luthieria, música e vídeo.

Participou de diversas exposições coletivas e individuais, dentre as quais se destacam: *** Tripé/Gravura – SESC Pompéia *** Livro de Artista – Gravura Brasileira (Galeria) *** VI Biennale Internazionale per l’Incisione – Acqui Termi  *** Itália; Introduzzione all’ Ex Libris Latino Americano – Genova – Itália

artwins@gmail.com

http://artwins.multiply.com/

http://atelierenganoseilusoes.blogspot.com/

Eduardo Ver – São Paulo, Brasil

Eduardo Ver

 

Formado em artes visuais, Licenciatura Ed. Artística. Integrante do atelier Piratininga em São Paulo, atualmente coordenando o ateliê de xilogravura da biblioteca Belmonte em Santo Amaro, SP, Participação no projeto Edición número Cero La Habana, centro Wifredo Lam Havana, Cuba. Participação de exposições coletivas no Brasil e na Argentina, e ilustrador de alguns livros de cordel em xilogravura.                                 

Airton Laurindo – Juazeiro do Norte, Brasil

Luciano Ogura – São Paulo, Brasil

Luciano Ogura

Formado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Mackenzie. Desenvolve trabalhos em gravura desde 1996, participando de projetos coletivos e pesquisas individuais. Recentemente premiado no 27º Salão de Artes de Embú com a obra “Bartolomeu”, e expondo também na Biblioteca Municipal de Sorocaba. Dentre os projetos coletivos podemos destacar: Projeto Lambe Lambe, Projeto Vamos Gravar o Rinoceronte do Dürer, Retratos Gravados com Grupo Dragão de Gravura, Cidade Figurada, Entre La Habana e São Paulo, e participação na caixa de artistas do Museu Lasar Segall. Atuou dando workshops na Biblioteca Alceu Amoroso Lima e para alunos da PUC – SP, trabalhou na impressão de matrizes do artista Gilvan Samico em 2006. Residência artística com o Grupo Dragão de Gravura no Atelier Amarelo. Participação no 1º Salão Aberto paralelo à XXVI Bienal Internacional de São Paulo com o Grupo Dragão de Gravura.

Irving Herrera – Oaxaca, México

Irving López Herrera

 

Nasce 23 de julho de 1984 na Cidade Histórica de Huajuapan de León, Oaxaca, México. Filho de professores e camponeses no ano de 2002 se translada para a Cidade de Oaxaca onde cursa Licenciatura em Artes Plásticas na Universidade de Oaxaca. Além disto, cursa várias oficinas e seminários de arte em desenho, compressão dos clássicos, iconografia na arte, instalação, gráfica instalada, lasergrafia e plasticidade pictórica. Em 2006 se faz pioneiro e membro ativo do ASARO (Assembleia dos artistas revolucionários de Oaxaca). Em 2007 suas obras passam a fazer parte da Coleção Chichimeca – coleção de arte latino americana. Realizou uma exposição individual, “Para El mal Cuche” na Galeria Espaço Zapata.  Expus de maneira coletiva em vários estados de México e em países como Japão, França, Argentina, Itália e Espanha.

Anico Herskovits – Porto Alegre, Brasil


Anico Rosalia Herskovits

Nasceu em Montevidéu, Uruguai em 07/12/1948. Estudou no Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre e graduou-se na UFRGS. Expõe individualmente desde o ano de 1974, tendo realizado várias exposições individuais e participado de diversas exposições coletivas no país e no exterior. Recebeu vários prêmios destacando-se o do 38º Salão Paranaense (1981). Foi artista convidada da 3ª Bienal de Gravura de Santo André (2005) e artista homenageada na 2ª Bienal Internacional Ceará de Gravura (2006). Publicou o Livro Xilogravura Arte e Técnica em 1986. Foi curadora da mostra A gravura artística no Rio Grande do Sul no Centro Cultural Erico Veríssimo, Porto Alegre, nos anos 2007, 2008 e 2009, pelo qual recebeu o Prêmio Açorianos de Curadoria. Vive e trabalha em Porto Alegre.

http://www.anicogravuras.blogspot.com/

Yili Rojas – São Paulo, Brasil

Yili Rojas

Natural de Bogotá (Colômbia) chega ao Brasil em 1990. Anos mais tarde se forma em Artes Plásticas na Universidade Federal do Espírito Santo. Desenvolve um trabalho de gravura, desenho e instalação gráfica com o qual participa de grupos e de projetos coletivos como o Grupo Dragão de Gravura, o Projeto Lambe-lambe e atualmente o Projeto ArtistaEmViagem.

Seu trabalho tem sido exposto em mostras coletivas e na individual “Expedição Gráfica”, na Galeria Gravura Brasileira (São Paulo) além de ter estado na 4° Bienal de Gravura de santo André dentro de diversos momentos do evento. Durante o ano de 2009 iniciou com Isaumir Nascimento o projeto Expedição Gráfica – que continua em andamento. É autora do projeto Caixa Umburana – premiado pela FUNARTE mediante o edital REDES. Em 2010 recebe o título de Mestre em Poéticas Visuais pela ECA/USP com o projeto Cadernos de partida, desenvolvido sob orientação do Professor Luiz Claudio Mubarac. Em outubro de 2010 inicia o curso de mestrado Kunst in Kontext (Arte em contexto) na UdK (Universität der Künste) em Berlim, Alemanha.

J. Miguel – Bezerros, Brasil


Maura Andrade – São Paulo, Brasil

Maura de Andrade

 

Bacharel em Pintura, Escultura e Gravura pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo concluído em 1989. Artista Plástica que desenvolve um trabalho em gravura, participa de projetos coletivos de publicações e exposições. Tem como orientador o professor Evandro Carlos Jardim no ateliê de gravura em metal do SESC Pompéia.

Trabalhou como Arte Educadora na Pinacoteca do Estado de São Paulo, em Bienais Internacionais de Artes de São Paulo e no Itaú Cultural (São Paulo).  Atua com projetos para oficinas de gravura em instituições educacionais públicas e privadas.

Atualmente organiza projetos ligados ao universo gráfico como o Diálogos e a Circulação Gráfica, ambos com o incentivo do ProAc.

É mestranda em Poéticas Visuais na ECA-USP, sob orientação do Professor Luiz Claudio Mubarac.

Francisco Maringelli – São Paulo, Brasil

Francisco José Maringelli

São Paulo- SP, 1959.

Formação: ECAUSP (1984/1990),FAUUSP (1979/1985) e Museu Lasar Segall (1980/81).

Desde 1979 trabalha com gravura em relevo: xilogravura,  linoleogravura e matrizes de duratex,  sendo que a pintura e o desenho seguem um caminho paralelo.

A presença de séries temáticas têm marcado o corpo do trabalho deste artista, ao longo do tempo, assim: em 2010 , as xilos remetem às ruínas da parte baixa do bairro de Pinheiros. Outra série importante foi em “aberta” em 2003 , com os  “cartazes” que conjugam tabularmente,  escritos, retratos e  figurações de velhos manequins.

O projeto “Grandes formatos na Gravura em Relevo”, em 1994, com o patrocínio da Fundação Vitae ensejou a realização de xilos centradas na figuração dos objetos acumulados dentro do ateliê e uma aproximação com a gravura visando a uma escala mural.

Dentre os projetos coletivos se destacam dois deles realizados com Cláudio Caropreso (SJC), o álbum “Clandestino” e a o conjunto de xilos “Entre o Fio da Navalha e o meio-fio das calçada” exposto na Graphias – Casa da Gravura. Continua trabalhando com a artista Daniela Lorenzi (Milão) e com Andrea Costakazawa no projeto “Entretrês”.

Carlos Henrique Soares – Crato, Brasil

Carlos Henrique Soares

É natural da cidade de Crato, situada no extremo sul do Ceará, na região do Cariri, xilógrafo, membro da Academia de Cordelistas do Crato, seus trabalhos já ilustraram e ilustram capas de cordéis produzidas por membros da referida academia.

Ministra oficinas de xilogravura em escolas e em projetos de parceria com a Universidade Regional do Cariri (URCA), já expôs seus trabalhos no SESC Fortaleza, em maio de 2010 participou como artista convidado da comemoração dos 130 anos da comunidade árabe no Brasil, em setembro de 2010 participou do SPA das Artes em Recife-PE – evento que reúne artistas gravuristas e obras dos mais variados estilos, do grafite a xilogravura, posteriormente foi um dos artistas convidados pelo Centro Cultural Dragão do Mar para o Além da Rua.

Rafael Limaverde – Fortaleza, Brasil


Rafael Limaverde

Artista de 34 anos, nascido em Belém e naturalizado cearense, começou sua carreira como cartunista e ilustrador editorial. Paralelo a carreira como ilustrador, passa a trabalhar de forma autodidata como xilogravurista onde, no ano 2000 fez sua primeira exposição de gravura intitulada xilofagia e que contava com 14 impressões cujo o tema eram figuras e manifestações do universo sertanejo. Em 2004 entrou para o IFCE onde formou-se no ano de 2009 em Artes visuais. Hoje faz parte do Grupo Acidum, trabalha com design, xilogravura, intervenção urbana e ilustração de livros infantis.

Maércio Lopes – Crato, Brasil

Maércio Lopes Siqueira

Nasce em Santana do Cariri-CE, mas mora em Crato-CE desde 1983. Graduado em Letras (2001), iniciou xilogravura em 1999. Depois de um intervalo sem se dedicar a essa arte, a partir de 2006 voltou a gravar, estudando junto a Carlos Henrique as técnicas que esse artista desenvolveu. Em 2007, participou de uma exposição coletiva “Incisão”, no Centro Cultural Banco do Nordeste- Cariri. Juazeiro do Norte –CE. Sua primeira exposição individual foi Impressão de Mundos, 2008, no Sesc-Crato. Foi presidente da Academia dos Cordelistas do Crato em 2009. Atualmente cursa Mestrado em Filosofia, em João Pessoa.

Nilo – Juazeiro do Norte, Brasil

José Marcionilio Pereira Filho

Conhecido como Nilo, é um artista popular natural da cidade de Juazeiro do Norte, situada no Cariri cearense, onde reside, é xilógrafo e escultor em madeira, a maioria de suas obras tem como tema figuras ou imagens que fazem parte  do imaginário popular caririense e nordestino.

Já expôs seus trabalhos em vários centros culturais e espaços de exposições artísticas, como os Centros Culturais do Banco do Nordeste de Juazeiro do Norte e Fortaleza, SESC- CE,  SESC-PB, SESC- SP, participou de um documentário sobre imagens e lendas folclóricas caririenses, produzido pela Universidade Regional do Cariri(URCA).

Fabricio Lopes – Santos, Brasil

Fabrício Lopes

Trabalha e vive em Santos e São Paulo. Mestre em poéticas visuais pela ECA – USP sob orientação de Claúdio Mubarac, é membro fundador da Associação Cultural Jatobá – AJA e do Atêlie Espaço Coringa, que entre 1998 e 2009 produziu ações coletivas como: exposições, publicações, vídeos, aulas, intercâmbios e residências artísticas. Participou de diversas exposições coletivas dentre elas: Trilhas do Desejo – Rumos Itaú Cultural, X Bienal de Santos (1° prêmio), Novas Gravuras – Cité Internationale des Arts /Paris –FR, XIII Bienal  Internacional de Arte de Vila Nova de Cerveira – Portugal e Arte Contemporânea no Acervo Municipal – Centro Cultural S. Paulo. Realizou exposições individuais na Estação Pinacoteca – SP e no Centro Cultural São Paulo, integra os acervos públicos da Pinacoteca Municipal e do Estado de São Paulo, Casa do Olhar – Santo André e da Secretaria Municipal de Cultura de Santos.

Em 2007 implantou um ateliê no bairro do Valongo, no centro histórico da cidade de Santos, onde desenvolve trabalhos em grande formato e uma pesquisa de cor e sobreposição pictórica através da xilogravura.

Desde 2008, coordena o Ateliê de Artes no Instituto Acaia na Vila Leopoldina em São Paulo.

Julio Yescka – Oaxaca, México


Caixas, figuras e umburanas

Este slideshow necessita de JavaScript.

Umburana na Gravura Brasileira

Um ninho na Umburana

Maura de Andrade

galho-a-galho a umburana cresce na umburana

Foto: Maura de Andrade

Caixas gravadas

Carlos fez das linhas traços exatos com a faca, Yili cortou sem cuidar de contornos exatos, Maura usa a goiva V e das suas mãos nascem galhos que se emaranham, agora Marcos e Luciano receberão as duas últimas caixas para fazer com elas novas cartografias de uma mata do coração do Brasil-ceará-pernambuco-raiz.


Da umburana nasce a umburana

Andando pelo sertão vi..

macabira, xique-xique, imburana de cambão – rasteira  ou de espinho, mulungú, cuduro, imburana de cheiro – cerejeira ou camarú, mandacarú, caxia, palma de raposa, umbuzeira, coroa de frade, pinhão bravo, aroeira, castanhola, barriguda, marmeleiro, barbadebode, burraleitera, paumocó, catolé, cajaimbú, timbauba, brauna, pauferro…um piolho de urubú pegando uma formiga incauta com sua arapuca de areia e um calango enorme e assustado que saiu na maior correria por entre espinhos.

Poéticas

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Isaumir Nascimento

A madeira

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Isaumir Nascimento

Construção I

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Isaumir Nascimento